Alergia

O Controle de Ambiente é um conjunto de normas que objetivam minimizar ou afastar o alérgico das substâncias específicas causadoras de alergia (alergenos) e reduzir ou impedir seu contato com os chamados irritantes respiratórios ou gastrintestinais (produtos químicos).

Alergenos e Irritantes são capazes de determinar, separada ou conjuntamente, algum tipo de sintoma alérgico.

Eles estão presentes nos ambientes domiciliar, profissional e recreativo de todas as pessoas.

. Deve-se ter sempre o cuidado e a preocupação constante de seguir, detalhadamente, todas as medidas que precisam ser tomadas nos ambientes freqüentados pelo paciente. Uma grande maioria acha que isso é bobagem e com isso abandona um dos pilares mais importantes do tratamento, capaz de levar à cura.

. É preciso que todos compreendam a necessidade de tomar certas medidas no interior de residências, inclusive no campo, praia, escritórios e fábricas. Para tanto se faz necessária divulgação de noções de que certos equipamentos como fogões, aquecedores, condicionadores de ar e também diversos materiais, aparentemente inofensivos, podem ser fatores desencadeantes inespecíficos de manifestações alérgicas (tintas, vernizes, resinas, derivados do formol, odores, gases, fumaças e outros voláteis). As pessoas acreditam que se o produto está no mercado é porque ele é seguro e incapaz de fazer mal à saúde.

. É preciso chamar atenção para os alergenos ou fatores específicos, sob forma de contaminantes ambientais ou alimentares são os principais responsáveis pelas alergias, que no Brasil atingem duas em cada cinco pessoas. Ou seja, 40% da população. Podemos citar como alergenos mais importantes: fungos (mofos) e outros microrganismos, ácaros, penas e pelos de animais, restos de insetos – baratas, moscas, mosquitos, poeira domiciliar e de alimentos (trigo, milho, soja).

. Engenheiros, arquitetos, decoradores, especialistas em refrigeração e todos aqueles que lidam com ambientes interiores, devem ter maior preocupação com a adequação de suas construções e ambientes. Lembramos, por exemplo, que as edificações precisam ser ventiladas, ensolaradas, evitando o uso de estofados de penas, carpetes, porque ali viverão, seres humanos que poderão adquirir doenças por causa do desconhecimento científico, desses profissionais, na área biomédica.

. Surgiu há pouco tempo expressões como “poluição do ar de interiores”, “tóxicos domiciliares”, “irritantes respiratórios”, “irritantes gastrintestinais” que procuravam explicar os riscos da utilização de substâncias químicas dentro dos ambientes em que vivemos, visto que elas podem ser inaladas ou ingeridas com ou sem nosso conhecimento.

. Existe uma série de doenças que são causadas por substâncias químicas, que de algum modo ou em algum nível são tóxicas. Estas doenças têm demonstrado alguma relação com processos imunológicos e estão sendo estudadas, em conjunto, num novo capítulo da medicina denominada: Medicina Ambiental (Environmental Medicine).

. Assim procedendo será possível desmistificar a incurabilidade das alergias e mostrar que os tratamentos podem ter ótimos resultados. Deste modo todos poderão indicar ou buscar a cura, cuidando melhor do meio interior, realizando um correto controle ambiental ao lado da imunoterapia ativada (imunativação) contra os mais diversos alergenos ambientais.

. Para se começar um tratamento sério, é preciso ter uma nova concepção ou mesmo um novo estilo de vida. É importante, para tanto, que sejam substituídos ou suprimidos totalmente o uso de produtos químicos geralmente tóxicos por matérias naturais e biodegradáveis. Você compreenderá logo que estava sendo “envenenado” lentamente em sua casa, no local de trabalho ou lazer.

. Quanto mais rapidamente forem removidas as substâncias tóxicas ou irritantes dos ambientes onde se vive e substituídas por materiais atóxicos, melhor você irá se sentir e ainda ficará livre de uma série de sintomas debilitantes. Isto também levará a uma diminuição do uso de medicamentos e, conseqüentemente, de seus efeitos colaterais.

. A Healthy dedica seus esforços no sentido de curar seus pacientes e tem exigido a realização do controle ambiental próximo ao ideal. Ele inclui:

a- CONTROLE DOS ALERGENOS:
Forrar colchões e travesseiros com material impermeável (napa).

b- CONTROLE DOS IRRITANTES RESPIRATÓRIOS E GASTRINTESTINAIS:
Retirar ou abolir as substâncias que têm cheiro.

c- CONTROLE DOS SINTOMAS:
Usar a medicação que controla os sintomas nas fases iniciais do tratamento.

d-IMUNOTERAPIA:
Use a mais moderna terapia imunológica existente: IMUNOTERAPIA ATIVADA.

Publicações Recomendadas