Compulsividade Alimentar x Fome Oculta

emocional1

Compulsividade Alimentar x Fome Oculta

A alimentação serve para fornecer os nutrientes essenciais para o funcionamento celular normal. Caso os nutrientes não cheguem até a célula, estes não são metabolizados (fome oculta), e assim, o cérebro manda um sinal para comermos mais e para tentar resgatar a insuficiência de nutrientes e a geração de energia intracelular.

Este é um grande desafio na relação entre: o que eu como, o que meu estômago quebra, o que meu intestino absorve e o que minha célula metaboliza.

Essa é a chave para a questão da individualidade, ou seja, se duas pessoas comem o mesmo prato, não significa que ambos absorvem e metabolizam da mesma forma.

Identificando essas diferenças, o tratamento e a prevenção se tornam individualizados, diminuindo o risco relativo de doenças relacionadas ao metabolismo.

Com o avanço da tecnologia atual, é possível a individualização e correção dos eventuais erros metabólicos.

A Fome oculta, também referida como deficiência marginal, é uma carência não explícita (não aparente) de um ou mais micronutrientes no organismo, sendo atualmente identificada como o problema nutricional mais prevalente no mundo. Neste estado, os estoques de vitaminas e minerais diminuem silenciosamente, sem apresentar sinais nem sintomas, os quais, só ficam evidentes, quando o estágio mais grave da deficiência está instalado.

Constitui-se no estágio anterior ao surgimento de sinais e sintomas clínicos de carência detectáveis e não está necessariamente associado a patologias claramente definidas, como as observadas na má nutrição protéico-energética.

Esta carência pode ocorrer devido à deficiência de um micronutriente específico, porém, freqüentemente ocorre combinada com outras deficiências de vitaminas e minerais, em razão da estreita associação entre fontes alimentares, vias metabólicas e funções fisiológicas de forma que, carências múltiplas podem estar mascaradas pela carência maior de um único micronutriente.

A fome oculta compromete várias etapas do processo metabólico, merecendo destaque as alterações observadas no sistema imunológico e no desenvolvimento físico e mental do indivíduo. Ocorre quando, por razões econômicas, geográficas e/ou educacionais, o indivíduo têm acesso a uma dieta básica pouco diversificada e, normalmente, deficiente em vários micronutrientes, sendo o número de famílias afetadas ainda mais expressivo que os acometidos pela desnutrição protéico-energética.

Fonte: Antônio Pacileo, 2016 / Wikipedia – OMS

 

Publicações Recentes