Dor de cabeça

A dor de cabeça é um dos transtornos mais freqüentes. Geralmente não refletem problemas graves, mas indubitavelmente geram preocupação e angústia, pois a intensidade da dor, em certos casos, pode deixar o paciente impossibilitado.

Causas

Existem muitas variedades de dor de cabeça e muitas causas. A cefaléia mais comum é produzida pela tensão muscular que decorre dos problemas na postura, do estresse e da estafa. A sinusite e os transtornos oculares também são causa da cefaléia, que se expressa na região frontal da cabeça ou sobre os olhos; a dor de cabeça causada por esses transtornos geralmente piora com o frio ou depois de realizar esforços visuais, respectivamente. Certas cefaléias apresentam características especiais, pois somente afetam um lado da cabeça, com crises muito intensas e curtas, e também produzem inchaço e vermelhidão do olho do lado dolorido.

A migrânea é um tipo especial de dor de cabeça em salva, acompanhada de uma série de manifestações neurológicas (formigamentos, tonturas), visuais (perda da visão em uma zona determinada ou a visão de luzes brilhantes) e inclusive gastrintestinais (náuseas e vômitos). O motivo dessa dor particular é a constrição – seguida de dilatação – das artérias do cérebro e o baixo teor do neurotransmissor serotonina, que poderia causar esses transtornos vasculares. Entretanto, a dor teria origem nas mudanças hormonais, no uso de certos alimentos ou na redução repentina do nível de estresse.

As infecções no cérebro ou nas meninges (camadas que recobrem o cérebro e a medula espinhal) também causam dores de cabeça muito intensas. No caso de uma meningite aguda, além da forte dor de cabeça que envolve também o pescoço, apresentam-se outros Sintomas tais como febre, mal-estar geral e rigidez da nuca. Outras causas de cefaléia são os tumores do cérebro, que podem provocar outros sintomas: convulsões, perda da fala e transtornos na saúde mental.

Sintomas

Cada tipo de cefaléia apresenta características peculiares dependendo da região afetada, da intensidade, da duração e da recorrência. Além de todas essas diferenças, influi a impressão subjetiva de cada pessoa em descrever a dor.

Fonte: The Merck Manual of Medical Information – Home Edition
Publicações Recomendadas